Alívio de Tensões

O tratamento para “distencionar” o acrílico cast e extrusado é importante antes e depois do processo de transformação, visando eliminar as fissuras ou crazing que aparecem. De acordo com o engenheiro Fábio Fiasco, proprietário da Sinteglas, especializada em colas, todas as chapas acrílicas, inclusive as extrusadas a partir da resina de PMMA, com diferentes graus de intensidade, carregam tensões internas ou residuais resultantes dos efeitos térmicos de seus processos de fabricação. Para aliviar as tensões do acrílico são empregados dois processos distintos:

Normalização (normalizing)

Processo de tratamento térmico utilizado para chapas ANTES de serem transformadas (usinagem, moldagem ou colagem). Neste procedimento, as chapas (como fabricadas) são aquecidas uniformemente a uma temperatura acima de seu ponto de transição (entre 138 a 140°C) até que se garanta o completo relaxamento das tensões existentes. Depois, se dá o resfriamento lento até a temperatura ambiente em uma proporção que evite a reintrodução de tensões. Nas aplicações mais críticas exige-se a normalização independente da intensidade das tensões internas presentes no material.

Recozimento (annealing)

Processo de tratamento térmico utilizado para aliviar as tensões APÓS o material sofrer qualquer transformação (usinagem, moldagem ou colagem). Para o uso comum das chapas cast, é permitido que o alívio das tensões presentes  no material original, quando esse for de baixa intensidade, seja negligenciado  dispensando o processo de normalização.

No entanto, as tensões térmicas e mecânicas decorrentes da transformação e usinagem do material, principalmente as que precedem a colagem, não podem ser desprezadas, pois são justamente as responsáveis pelas falhas de aparência e resistência. Vale lembrar que, por utilizarem solventes, a colagem e a impressão com tintas atacam a superfície do acrílico evidenciando e intensificando o efeito  crazing. Neste caso, é necessário fazer o  recozimento. Esse tratamento térmico é realizado com temperaturas abaixo da temperatura de transição. São três etapas consecutivas:

  • a) O componente é aquecido lentamente até a faixa de temperatura entre 87ºC e 93ºC.
  • b) Essa temperatura é mantida por um tempo “T” determinado (patamar).
  • c) Depois o material é resfriado lentamente para evitar a reintrodução de tensões ou deformações térmicas.

a) Aquecimento

Carregar a peça na estufa com temperatura ambiente. A temperatura do ar circulando dentro da estufa não deve aumentar mais que 18ºC/hora até atingir a temperatura selecionada (conf. tabela).

Tabela para condições de recozimento de peças moldadas (conformadas por calor):

Alívio de Tensões (distencionamento) de Chapas Acrílicas

c) Resfriamento

O tempo de resfriamento não deve ser menor que o tempo utilizado no patamar, ou assegurar um gradiente de resfriamento de pelo menos 12°C / hora. A temperatura do ar circulante na estufa deve permanecer dentro de uma variação não superior a ± 3ºC da temperatura selecionada na tabela acima.

b) Patamar de temperatura constante

Na prática, o tempo de recozimento (annealing) – “T” em horas, pode ser determinado como sendo igual a espessura da chapa – em mm. Assim, uma chapa de 3,0 mm deve permanecer por 3 horas na temperatura descrita pela tabela a seguir:

Considerações

Para as chapas extrusadas as condições de tempo e temperaturas para operações de alívio são diferentes e devem ser consultadas junto ao fabricante do material.

As operações de alívio de tensões só devem ser realizadas em estufas de circulação de ar com controle preciso e com variações não superiores a ±3ºC para o diferencial de temperatura no espaço entre as prateleiras.

As estufas adequadas devem possuir dutos com trocadores de calor ou resistências blindadas. O ventilador deve ter capacidade de suprimento de ar a uma velocidade de aproximadamente 100m/min. Podem ser estufas elétricas ou a gás e, neste caso, com trocadores de calor para evitar circulação de produtos combustíveis no espaço aquecido.

No Brasil são raríssimos os casos em que são requisitados ou especificados alívio de tensões (recozimento) para produtos fabricados em acrílico. No exterior, entretanto, existem empresas especializadas em executar esse serviço.

Para comprovar a eficácia do tratamento de recozimento utilizam-se placas Polaroid (ou o efeito de luz polarizada) e a conclusão é baseada na experiência prática do avaliador sendo, portanto, um critério sem caráter científico que deve ser amplamente discutido entre fornecedor e cliente.

“A arte é a auto-expressão lutando para ser absoluta.” – Fernando Pessoa

Os irmãos Bárbara Lopes e Estácio Lopes já completaram três décadas de atividade com acrílico, com a empresa Brascril. Ela comenta que o início foi com a comercialização simples do material, e atualmente dedicam-se aos mais variados usos, com ênfase na arte e diversos objetos decorativos. Entre outros reconhecimentos, tiveram uma classificação, escolha popular, no 3º Prêmio Design em Acrílico, realizado pelo INDAC – Instituto Nacional para o Desenvolvimento do Acrílico, de São Paulo, com a Champanheira Pratice.

Pequenos detalhes para decoração: a borboleta laranja. (Foto: Lenara Petenuzzo/especial)
Pequenos detalhes para decoração: a borboleta laranja. (Foto: Lenara Petenuzzo/especial)

Bárbara tem formação em ciências contábeis, posteriormente fez curso de design de arte, e a convivência com o artista Valmor Corrêa levou a empresa a dedicar-se à produção artística. Atualmente, o cotidiano da empresa dirigida pelos irmãos é compartilhado com artistas – André Venzon é outro deles – e galeristas.

A atividade com arte empolga a empresa, que conta ainda com Igor Lopes Borges, filho de Bárbara. Um dos trabalhos a que se dedicam de forma especial são as montagens para as bienais, que normalmente exigem um elaboração complexa para a apresentação das obras.

Cadeira de acrílico; projeto de Ewlyn Motta, executado pela empresa. (Foto: Lenara Petenuzzo/especial)
Cadeira de acrílico; projeto de Ewlyn Motta, executado pela empresa. (Foto: Lenara Petenuzzo/especial)

A constante convivência com arte levou os dirigentes da Brascril a formar uma coleção que se espalha pela fábrica e nas residências dos empresários. As montagens assinadas pela equipe são de classe, e o efeito é magnífico, como poderão ver nas fotos de Lenara Petenuzzo.

Caixas em acrílico

Tudo o que você pretender proteger com cuidado deve ser guardado em uma caixa feita de acrílico.

Jóias, bijuterias, gravatas, miniaturas, desenhos, cosméticos, canetas, sapatos, ou seja, tudo que você gostar de curtir, como objeto de carinho e estimação, pode ser bem guardado e protegido em um estojo ou uma caixa de acrílico.

Caixas em acrílico
Porta Canetas em formato de caixa

O objeto de estimação estará protegido de sujeiras e acidentes, além de sempre estar visível e pronto para sua observação. As caixas de acrílico podem ser completamente transparentes, quando se utiliza chapas cristais, pois atingem 92% de transparência, ou seja, bem mais que se fosse feita de vidro.

Caixas em acrílico
Caixa para jóias

Mas se você prefere guardar sua peça preferida em uma caixa diferente, também poderá recorrer às caixinhas confeccionadas com chapas acrílicas especiais, como coloridas opacas, coloridas transparentes, com incrustações de tecidos, de produtos orgânicos ou mesmo chapas que pareçam outros materiais, como madeira, mármore, granito ou mesmo o vidro esverdeado.
Tudo com muita segurança, pois o acrílico é um material que não estilhaça, quando cai no chão, portanto não produz pontas ou pedaços cortantes. Também é facilmente polido, com flanela e polidores de madeira, visando retirar os riscos superficiais que surgem quando de seu uso cotidiano.

Caixas em acrílico
Caixa para sapatos

As caixas também podem ser produzidas em acrílico espelhado, inclusive espelhamentos coloridos, resultando em um estilo refinado e mantendo a segurança do acrílico contra quebra.
Os vértices das caixas podem ser dobrados ou colados, permitindo também o uso de fechaduras elegantes que combinem com a caixa para maior proteção do objeto de estimação.
A sua coleção de produtos de estimação pode ser carinhosamente protegida em caixas criativas e elegantes produzidas com as mais diferentes e genuínas chapas acrílicas.

Caixas em acrílico
Porta chás

Entre em contato com as empresas associadas ao Indac que produzem Caixas em Acrílico

Acril Word
www.acrilworld.com.br
11 3694 4045 / 3694 4093

Acrilopes
www.acrilopes.com.br
11 2047 0430

Acrinox
www.acrinox.com.br
61 3202 7577 / 3354 7577

Acriplanos
www.acriplanos.com.br
71 3023-9261

Acriresinas
www.acriresinas.com.br
11 5521-1023

Art Cryl
www.artcryl.com.br
11 4188-5570 / 4207-5652

Brascril
www.brascril.com.br
51 3362.7052

Casa do Acrílico Campinas
www.acrilico.com.br
19 3728-2931

Casa do Acrílico Rio de Janeiro
www.casadoacrilico.com.br
21 3970-7005 / 21 2222-2000

Creatto
www.creattodesign.com.br
16 3711-2888

Diagonale
www.diagonale.com.br
11 3088-3496

Emporium
www.emporiumacrilicos.com.br
14 3313 6605

Menaf
www.menaf.com.br
11 2412.0081 / 2481.8609

PP Caponi
www.caponi.com.br
35 3714.3800

Rao Display
www.raodisplay.com.br
11 3935.6500

Santa Clara
www.acrilicossantaclara.com.br
47 3274-6500 / 11 4330-5512

Support Brand
www.supportbrand.com.br
11 3714.9099

Total Acrílicos
www.totalacrilicos.com.br
64 3453-2691

Tronord
www.tronord.trodatpartners.com
75 2101-7272

Tudo em Acrílico
www.tudoemacrilico.com
11 3782.1688

Web Acrílicos
www.webacrilicos.com.br
11 3171-0423

De restaurantes a grandes eventos, as urnas estão presentes. Tanto para sorteios, como para caixas de sugestões. Mas você sabia que elas podem ser desenvolvidas extamente para se adequar a sua necessidade? “Para o cliente que deseja fazer sorteios de promoções o ideal é usar a urna giratória que facilita o manuseio e já mistura todos os cupons. Para guardar notas fiscais a opção mais adequada é a urna piramidal. Já para saber a opnião do seu cliente, existe a opção de caixa de sugestões, que pode ser em diversos tamanhos e modelos e ainda conter uma bolsa de formulários”, explica Thaiana Castro, da empresa Acriplanos.

Urnas em Acrílico

Além de existirem diferentes tipos de urnas, também existem vários tamanhos e preços. Anderson Rufino, da Acrilabor, explica que esse objeto pode ser feito conforme a necessidade do cliente. “Preços, tamanhos, cores e até maneiras de fechar podem ser pedidas e desenhadas pelas empesas”.

Urnas vendidas pela loja virtual Web Acrílicos
Urnas vendidas pela loja virtual Web Acrílicos

Outra preocupação do tranformadores de acrílico é com a conservação das urnas. “Apesar do acrílico ser uma material resistente e durável, o cuidado é importante para ter um produto sempre em perfeito estado”, diz, Diogo Placeres, da Acrilplast. De acordo com o designer, polir a peça com uma flanela usando um polidor doméstico oferece muito mais beleza para a urna.

Urnas vendidas pela loja virtual Web Acrílicos
Urnas vendidas pela loja virtual Web Acrílicos

Conheça os fornecedores de Urnas em Acrílico indicados pelo indac:

Web Acrílicos

Loja virtual que tem em estoque e a pronta entrega modelos de Urnas.
Website: www.webacrilicos.com.br
E-mail: [email protected]

Acriplanos

Oferece tecnologia de corte a laser e desenvolvimento de vários projetos usando o acrílico – desde de urnas a toda espécie de comunicação visual.
Fone: (71) 3384.0150/3559 (Salvador-BA)
Website: www.acriplanos.com.br
E-mail: [email protected]

Acrillaser

A Acrillaser fornece urnas, troféus e projetos de comunicação visual.
Fone: (11) 4199.4199 (São Paulo-SP)
Website: www.acrillaser.com.br
E-mail: [email protected]

Creatto Design

A Creatto desenvolve vários tipos de unas. A convencional tem até as dobradiças transparentes – ou seja é toda feita em acrílico.
Fone: (16) 3711-2888 (Franca-SP)
Website: www.creattodesign.com.br
E-mail: [email protected]

Acrilopes

A empresa oferece urnas de diferentes tamanhos, cores, transparências e formatos. Com o auxilio da tecnologia é possível personificar o produto seja fazendo um silk scream ou até mesmo uma gravação a laser.
Fone: (11) 2047.0430 (São Paulo-SP)
Website: www.acrilopes.com.br

Acrilplast

Especializada em urnas, troféus e comunicação visual a Acriplast faz urnas por encomenda.
Fone: (11) 4228.6870 (São Paulo-SP)
Website: www.acrilplast.com.br
E-mail: [email protected]

O mercado de maquetes, principalmente na área de empreendimentos imobiliários, é um grande consumidor de acrílico. O material tem grande utilização por sua transparência, versatilidade e praticidade. Na Adhemir Fogassa Maquetes, uma das maiores empresas do ramo em São Paulo, são produzidas cerca de 30 maquetes por mês(o que significa uma média de 80 edifícios), e o acrílico é utilizado em todos os projetos. “Usamos o acrílico nos locais em que precisamos reproduzir vidro e transparências. Escolhemos o material principalmente pela facilidade no uso e variação das espessuras das chapas“, afirma Adhemir Fogassa, proprietário da empresa.

Buscando atender às necessidades deste crescente mercado, há mais de 10 anos a TC Acrílicos, associada ao Indac, desenvolveu uma chapa de 0,5mm. Até hoje a empresa oferece essa medida com exclusividade na América Latina, e em diversas cores. “Sempre trabalhamos para empresas de maquetes e foram esses clientes que nos pediram uma chapa mais fina, que pudesse ser curvada e cortada com mais facilidade“, conta Gerson Trentino, proprietário da TC Acrílicos. “Essa espessura também é bastante utilizada em cartões de visita e peças promocionais“, completa. Por ser extremamente fina, a chapa pode ser cortada a laser ou até com estilete, o que torna seu manuseio muito fácil e prático, agilizando o trabalho, além de poder ser curvada sem necessidade de moldagem.”Usamos muito as chapas de 0,5mm para maquetes em escala pequena, ou para detalhes em peças maiores“, conta Fogassa. Edilson Andrade, proprietário da Andrade Maquetes, conta que utiliza as chapas de 0,5mm também para reproduzir espaços com água.”Por causa da espessura, é uma chapa ideal para dar efeito mais real em piscinas e cachoeiras“, afirma.

Maquetes em Acrílico

Os irmãos Paulo e Jorge Nakanishi, sócios fundadores da Maquetes Nakanishi, utilizam o acrílico principalmente para montar as redomas de proteção para as suas maquetes. Fogassa e os Nakanishi afirmam que já tentaram trabalhar com outros materiais, mas sem sucesso. “O acrílico é o único que tem a firmeza necessária, recebe tinta sem dificuldade e é ´facil de cortar”, afirma Fogassa. Tanto ele quanto os irmãos Nakanishi experimentaram PVC expandido, policarbonato e outros materiais divulgados como similares ao acrílico. Adhemir e Jorge afirmam que a experiência não deu certo.

Veja Também

Site TC Acrílicos
www.tcacrilicos.com.br

Site de Adhemir Fogassa
www.maquetes.com.br

Site Andrade Maquetes
www.maquetes.com.br

Como limpar e tirar riscos do acrílico

Por ser um material belo e delicado, que apesar de sua semelhança não é um plástico comum, se parecendo mais a um cristal. Relacionamos abaixo algumas dicas de como conservar o material, restaurar o seu brilho e eliminar riscos.

Como limpar peças e chapas em acrílico

Deve-se limpar com um espanador de pó e, caso necessário, use um pano umedecido ou lave as peças com água e sabão neutro para eliminação de sujeiras.

Evite o uso de substâncias abrasivas como sapólio ou solventes como álcool ou tíner que danificam o produto.

Como restaurar o brilho ou eliminar pequenos riscos

Para restaurar o brilho ou eliminar pequenos riscos no objeto deve-se polir manualmente o local com panos limpos e macios impregnados com polidores para móveis ou específicas para plásticos. O polimento também consegue retirar com muito mais facilidade as sujeiras, como graxa, manchas e outras substâncias oleosas.

O que NÃO fazer ou utilizar para limpar o acrílico

Em hipótese alguma se deve utilizar na limpeza esponjas ásperas, muito menos de aço.
É comum as pessoas passarem nas peças um pano já utilizado em outros objetos, porém, isto deve ser evitado porque a poeira agarrada no tecido também risca o acrílico;
Substâncias abrasivas como sapólio ou solventes como álcool ou tíner que danificam o produto.

Como eliminar riscos mais profundos

Para eliminar riscos mais profundos procure uma empresa especializada em acrílico, pois possuem conhecimento e recursos necessários para o polimento industrial.

Caso queira tentar, o primeiro passo é lixar o local danificado com uma fixa fina (n° 180), e em seguida polir a área com discos de pano acoplado a uma politriz de alta rotação. O acabamento final também deve ser dado com discos de tecido conectados à politriz, e em ambos os casos, uma massa para polimento é aplicada nos discos para ajudar na recuperação do brilho do acrílico.

É essencial a operação de acabamento nas bordas das chapas de acrílico quando furada, serrada, gravada e usinada.  Caso a superfície da chapa seja riscada durante a usinagem, pode-se restaurá-la com as operações de lixamento e polimento.

Embora o polimento possa restaurar razoavelmente bem a superfície das chapas acrílicas, o melhor será evitar essa operação. Para isso o filme protetor da chapa deve ser mantido durante as operações de usinagem, impedindo que se arranhe a superfície original.

As operações de acabamento de chapas acrílicas seguem princípios idênticos aos usados com outros materiais. Marcas de usinagem ou riscos profundos na superfície devem ser primeiramente removidas com lixa de grana fina para em seguida se fazer o polimento.

As operações de acabamento devem ser escolhidas em função do tipo de trabalho a executar e da natureza do acabamento requerido. Nunca deve ser negligenciada as condições de limpeza do ambiente e do trabalho que se realiza. A obtenção de um acabamento de alta qualidade exige paciência e sensibilidade do operador. A cada estagio das operações as superfícies das chapas acrílicas devem estar sempre limpas, removendo-se qualquer abrasivo aderente ou excesso das ceras polidoras.

Acabamentos Superficiais

Uma das principais propriedades do acrílico é sua superfície brilhante revelando excelente qualidade ótica e transparência.  Porém, quando em contato com determinados produtos, como álcool ou tiner, as chapas podem formar fissuras internas ou “crazing”, devido à degradação das cadeias moleculares.
Outra grande vantagem do acrílico, que o diferencia de outros produtos, é a possibilidade de eliminar riscos da superfície com simples processos de lixamento e polimento. São processos baratos e efetivos e podem ser repetidos várias vezes, retomando a qualidade original da superfície.

São as seguintes as fase do acabamento de chapas acrílicas:

Lixamento
Polimento

Lixamento do Acrílico

Existem dois tipos de lixamento: Manual e Mecânico

Lixamento Manual

Para os acabamento superficiais utilizam-se técnicas similares ao trabalho com madeira, envolvendo a lixa em uma peça com lados perfeitamente planos.  Deve-se trabalhar com movimentos circulares, pressionando levemente a lixa contra a chapas, lubrificando-se com água e mudando a grana da lixa progressivamente, da mais grossa para a mais fina. Também é importante lavar a superfície após cada operação, verificando a área deteriorada anteriormente.

Lixamento Mecânico

Depois de cortadas, as bordas das chapas são lixadas com uso de um disco abrasivo de 25 cm de diâmetro e rotação de cerca de 3.000 r.p.m. Com discos de maior diâmetro a rotação deve ser da ordem de 1.500 r.p.m.

 

Lixamento de Chapa Acrílica com Lixadeira
Lixamento de Chapa Acrílica com Lixadeira

Alternativamente, pode ser usada uma correia lixadora, com uma velocidade de cerca de 350 m/min. Essas operações de lixamento são feitas a seco, exercendo pressão controlada, a fim de evitar superaquecimento do material. Lixadeiras vibratórias manuais também podem ser usadas com êxito para o lixamento de superfícies planas, bordas de chapas grossas ou ainda varias chapas agrupadas com as bordas formando uma única superfície. Neste caso as chapas devem ser presas com fitas adesivas ou grampos para mantê-las juntas e unidas, formando um só bloco, facilitando assim a operação.

Raspagem

Utiliza-se raspadores ou rasquetes de metal para as bordas que já estejam razoavelmente lisas devido a operações anteriores. A lâmina geralmente segue o contorno real da superfície e se as irregularidades forem grandes, poderá resultar uma superfície ondulada.

Plainas

Outra técnica apurada, visando tornar as bordas das chapas acrílicas mais perfeitas, é o uso de plainas com serras de desbaste de elevada precisão. Recorre-se, inclusive ao acabamento “diamantado” das serras para se conseguir perfeição na operação de lixamento das bordas.

Lixamento e Polimento de Chapas Acrílicas
Detalhe para o acabamento de Chapa Acrílica passada por uma plaina

Polimento do Acrílico

Assim como no lixamento, também no polimento existem as opções: manual, mecânico e a chama

Polimento Manual

Riscos leves e pequenos defeitos superficiais podem ser facilmente removidos com polimento manual.

Utilizando-se massa de polir grossa, em uma primeira etapa, e depois fina, similares às utilizadas para automóveis, e com panos macios e limpos, deve-se polir com movimentos circulares ao redor da área danificada, com firmeza e alternando de direção freqüentemente. Desta forma se poderá restaurar a superfície, retomando o brilho original da peça de acrílico.

Polimento Mecânico

Depois do alisamento da superfície por meio de lixamento ou raspagem, as chapas acrílicas devem ser polidas em politrizes mecânicas. A roda de tecido de algodão sanfonado ou “boneca”, geralmente com diâmetro entre 15 cm (6”) a 35 cm (14”), e rotação em torno de 1.400 r.p.m. Não se recomenda rotação mais alta, procurando impedir um superaquecimento da superfície, com conseqüente queima ou deformação da área atingida.

Lixamento e Polimento do Acrílico
Politriz usada para polir acríico

O polimento da chapa acrílica requer um bom equilíbrio entre a velocidade da politriz e a pressão aplicada, cabendo ao operador julgar a pressão que não causará superaquecimento, mas que simultaneamente dará um bom rendimento de trabalho. Na roda de tecido aplica-se massas especiais para polimento de acrílico. O acabamento final é dado em outra politriz, isenta de massa, com a finalidade de lustrar a peça e remover o excesso de polidor da operação anterior.

Lixamento e Polimento do Acrílico
Detalhe para o resultado (lado direiro) após o uso da politriz para o polimento de chapas acrílicas

Polimento a Chama

Outra técnica utilizada para polimento de bordas usinadas, porém, recomenda-se testar o procedimento antes da operação. Esta técnica pode provocar fissuras posteriores às chapas, caso a distância da chama estiver muito próxima da borda, degradando as reações moleculares do acrílico.

O acrílico é uma das matérias-primas adotada por fabricantes de móveis, designers e arquitetos que desejam agregar valor aos seus projetos, por meio da utilização de peças que aliam qualidade e beleza incomparáveis. E é exatamente com esse olhar criterioso que renomados profissionais têm conquistado a confiança de clientes que prezam pela beleza e pelo cuidado no acabamento das peças que adquirem ao usarem as Dobradiças em Acrílico, seja um móvel que ganhará destaque em uma sala de estar ou uma caixa de sugestões que ficará exposta em uma loja.

Dobradiça em Acrílico

Dessa forma, a beleza no acabamento das peças tem sido cada dia mais valorizada por profissionais e clientes, especialmente nos pequenos detalhes, como na escolha das dobradiças utilizadas para fechar materiais como urnas, caixas e displays. “As dobradiças e fechos em acrílico dão um toque especial e valorizam as peças produzidas com o material. Ainda que não sejam tão resistentes como as de metal, sem dúvida, garantem um acabamento simplesmente perfeito à peça”, explica Ricardo Holander, proprietário da Acrillander, empresa que produz e distribui dobradiças para o mercado nacional.

Os modelos mais simples de dobradiças em acrílico, e também os mais utilizados pelos clientes da Acrillander, estão disponíveis nas medidas 80×50, 45×36 e 27×37 mm (altura x largura considerando as duas abas).  A empresa também fornece a dobradiça com fecho, que mede 27×63 mm e por fim, vale destacar os encaixes cristais para colagem dos cantos em 45° das caixas e urnas.

Dobradiça em Acrílico

A Acrilopes, empresa produtora de peças, utiliza as dobradiças em acrílico na fabricação de urnas e caixas articuladas. “Adquirimos trimestralmente, em média, 100 pares de dobradiças, sendo que 90% delas são utilizadas na produção de urnas”, explica Renato Lopes, diretor da empresa que costuma manter urnas em estoque para atender aos clientes que, normalmente, só se dão conta de sua falta horas antes de realizar um sorteio.“Usamos as dobradiças transparentes por uma questão estética já que ela compõe melhor o conjunto e traz um resultado final mais atraente”, finaliza.

Fabricantes de Dobradiças em Acrílico

Acrilopes
Fone: (11) 2047.0430
www.acrilopes.com.br

Acrillander
Fone: (11) 5533.3131
www.acrillander.com.br

Frequentemente, objetos produzidos por outros plásticos também são comercializados no mercado como acrílico. O principal pelos equivicos no Brasil é o poliestireno (PS) cristal, um polímero usado em artigos de baixo custo, como em utilidades domésticas. O acrílico, por sua vez, é mais nobre e duradouro (no mínimo, 10 vezes mais resistente a impactos do que o vidro) e 100% reciclável. Para que o consumidor final não seja enganado, existem três formas básicas de reconhecer as diferenças entre os dois materiais. A primeira delas é o aspecto visual. De acordo com o engenheiro químico e diretor presidente do Indac, Fábio Fiasco, o poliestireno é azulado e amarela rapidamente, enquanto o acrílico é completamente transparente e não altera a cor com o tempo.

“Um bom exemplo é o da caneta BIC, que é feita de PS. Se colocarmos o objeto contra a luz veremos nitidamente o seu tom azulado”, diz Fiasco. “Em alguns objetos o reconhecimento pode ser feito também a partir da visualização da borda da peça. O acrílico permite enxergar a outra extremidade, enquanto que no poliestireno o aspecto é turvo – como se estivesse embaçado.

Outra forma de identificar os materiais é pelo som. Segundo o engenheiro, ao jogar uma peça de poliestireno, como uma régua escolar, em uma superfície de concreto, o barulho do choque é estridente, similar ao de uma lata de alumínio caindo no chão. “Já o som do acrílico é seco, abafado, imitando um objeto de madeira”, afirma Fiasco.

É possível ainda diferenciar os plásticos pelo cheiro resultante da queima ou raspagem de parte do material. “O poliestireno solta uma fumaça preta e um cheiro bastante forte, parecido com o de óleo queimando. O acrílico queima com uma fumaça branca e odor mais agradável e suave, que lembra a fruta”, diz o presidente.

O gosto do Acrílico x Poliestireno

O segmento que mais sofre com a comparação com o poliestireno é o de utilidades domésticas, principalmente jarras e copos. De acordo com Jones Pellini, diretor da Kaballa, fabricante de utensílios em acrílico, neste caso o material pode ser diferenciado pela espessura – sempre acima de 2 mm­ – o brilho, o acabamento e o “gosto” da peça. “As utilidades domésticas de poliestireno apresentam espessura fina e acabamento texturizado, normalmente com rebarbas. E ao contrário do acrílico, o poliestireno libera gosto e cheiro”, diz Pellini. Para saber se o objeto é mesmo de acrílico, o especialista recomenda o teste do suco de laranja. “Deixe o líquido na jarra ou no copo de um dia para o outro na geladeira. Além de mudar o sabor, na peça de PS aparecerá a marca do suco, no nível em que ele parou, enquanto que no acrílico não aparecerá nada.”

Acrílico x Poliestireno
Peças em acrílico da Kaballa

No Brasil não há box de acrílico

O poliestireno também pode ser confundido com o acrílico na utilização de boxes de banheiro, embora no Brasil existam poucos fabricantes que trabalhem com este material. “Quase tudo é poliestireno”, afirma José Eugênio Peres, diretor comercial da unidade Campinas da Casa do Acrílico.

A única maneira de saber se um box é mesmo de acrílico é pela espessura  – que é no mínimo de 4 mm, o dobro do poliestireno – e tentar quebrar a chapa pela ponta. “Se quebrar, com certeza não é acrílico.” Os boxes de acrílico são recomendados por serem mais resistentes e, consequentemente, seguros do que os de vidro temperado. De acordo com Eugênio Peres, o poliestireno é até o mais perigoso em caso de quebra. “O PS forma lâminas cortantes e pode causar ferimentos graves”, diz. “É um exemplo do barato que pode sair caro”.

Calhas automotivas

A maioria das calhas automotivas vendidas no país são especificadas pelo fabricante como sendo de acrílico, porém grande parte desbota e fica quebradiça com a exposição ao sol. “Algumas utilizam acrílico, mas a maioria é de poliestireno injetado”, afirma Fábio Toledo Pelin, diretor-executivo da Mapro, empresa especializada na fabricação de calhas, tapas sóis e protetores de faróis em acrílico.

De acordo com o especialista, é possível identificar o material pelo olhar. “O acrílico é visivelmente mais transparente, mesmo sendo na tonalidade fumê. É uma peça uniforme, com o mesmo brilho em toda a superfície. Desconfie também dos preços muito baixos, certamente são em poliestireno”, diz Pelin.

Acrílico x Poliestireno
Calha automotiva em acrílico

Veja Também

Casa do Acrílico
www.casadoacrilico.com.br www.acrilico.com.br
(21) 3970-7005 – (19) 3728-2931

Kaballa
www.kaballa.com.br
(54) 3292-4823

Mapro
www.mapro.com.br
(54) 3221-3080

Artigo relacionado
Box de Banheiro em Acrílico: escolha o material correto

Claridade, leveza, resistência ao impacto e às intempéries fazem das chapas acrílicas a escolha natural para aplicações na arquitetura, sendo utilizadas em uma variedade de aplicações na construção civil: de janelas e portas de proteção, instalações de iluminação às coberturas e domos em acrílico.
As chapas acrílicas são estabilizadas contra raios UV e permitem isolamento da transmissão de luz, ideais para locais como pátios, salas, clarabóias, spas, solários, estufas de plantas, piscinas, guarda-corpos, divisórias de ambientes, etc.

Pare de utilizar em sua cobertura policarbonato ou outro plástico de propriedade inferior, tendo que substituí-los após poucos anos da instalação – faça com acrílico uma cobertura para não amarelar. Chapas acrílicas não amarelarão ou degradarão devido ao ataque dos raios ultravioleta e as empresas produtoras de chapas, filiadas ao Indac, darão 30 anos de garantia. O investimento em chapas acrílicas para coberturas significa ganho de produção e redução de cerca de 50% de energia elétrica, além da eliminação do custo e recobrir várias vezes a estrutura devido ao amarelamento.

Cobertura no SENAI.
Cobertura no SENAI.

Veja algumas características e vantagens das Coberturas e Domos em Acrílico

Estabilidade natural aos raios UV

O amarelamento das coberturas é causado pelo efeito dos raios ultravioleta do sol, no entanto, somente as chapas acrílicas possuem estabilidade natural contra UV. Policarbonato e outros plásticos necessitam de uma barreira ou coating para retardar o amarelamento, e mesmo assim necessitam de substituição freqüente, pois se tornam amarelas e bloqueiam a luz natural do sol. A barreira contra os raios UV, depositadas nas superfícies das chapas de policarbonato, é geralmente fina e muito propensa a falhar.
Somente as chapas acrílicas possuem inerente e completa estabilidade aos raios UV, caracterizando-se em reter alta transmissão de luz e claridade. As chapas acrílicas não requerem substituições devido ao amarelamento pelo prazo de pelo menos 30 anos.

Radiação ultravioleta

As chapas acrílicas cristais Cast e Extrusadas praticamente não possibilitam transmissão de luz com comprimento de onda abaixo de 345 nanômetros. Entre 345 a 395 nanômetros, a transmissão de luz varia de acordo com a espessura da chapa e finalmente ondas entre 395 a 1.000 nanômetros, transmitem 92% da luz em qualquer espessura de chapa.
As chapas acrílicas cristais “virgens”, ou seja, aquelas produzidas com 100% de puro MMA, possuem garantia dos fabricantes associados ao Indac de não apresentarem alterações na transmissão de luz maiores que 3% durante 10 anos de uso externo.
Os produtores de chapas acrílicas associados ao Indac também podem dispor, quando solicitado, de produtos com aditivação especial que absorvem aproximadamente 98% da luz UV.

Atóxico e com pouca fumaça

Na queima ou combustão, outros plásticos utilizados em cobertura produzem fumaça densa e/ou gases tóxicos que podem ser extremamente danosos às pessoas e ao meio ambiente. A deterioração de muitos plásticos pelos raios UV alteram suas característica de queima, e devido à estabilidade das chapas acrílicas ao UV, as características de queima não deterioram com o tempo. Quando expostas ao fogo, as chapas acrílicas queimam mais limpas e com menos fumaça, sem a liberação de gases tóxicos ou corrosivos.

Maior durabilidade na transmissão de luz

Coberturas e Domos em Acrílico por não amarelar, as chapas acrílicas que possuem aditivação especial contra raios UV, mantém alta transmissão de luz através de sua longa vida de uso. Enquanto os usuários de policarbonato experimentam redução da transmissão de luz, resultando em substituições em menos de dez anos, as chapas acrílicas mantém a transmissão de luz acima de 90% e a claridade por mais de 30 anos.

Não amarela

Policarbonato e outros plásticos ficam visivelmente amarelados com o tempo. Chapas acrílicas não. Mesmo depois de 30 anos, o índice de amarelecimento (YI) para chapas acrílicas revela-se o mais baixo dentre os plásticos.

 

 

Cobertura em Acrílico Estádio Olímpico de Munique. Inaugurado em 1972
Cobertura em Acrílico Estádio Olímpico de Munique. Inaugurado em 1972

cobertura6

Ambientalmente correto

As coberturas com chapas acrílicas são corretas ao meio ambiente pois colaboram com a redução de emissões de poluentes, devido à economia de energia elétrica provocada pela sua elevada transmissão de luz. Também não se incorporam produtos químicos nocivos nas chapas, assim como não é emitido ruídos durante sua produção.
A garantia de 30 anos sem amarelamento significa menor numero de coberturas sendo descartadas devido às substituições e caso você queira substituir as chapas acrílicas da coberturas, elas podem ser recicladas e utilizadas posteriormente em produtos de consumo.

Manual de uso das Coberturas e Domos em Acrílico

Domos em Acrílico

Os domos foram criados para iluminar ambientes internos. Essas aberturas no teto das edificações, cobertas por cúpulas de chapas acrílicas, garantem perfeita difusão de luz, eliminando sombras e proporcionando iluminação zenital e arejamento. Suas formas geométricas ou arredondadas permitem a criação de projetos modernos e arrojados. A praticidade dos domos moldados em acrílico é outra de suas qualidades. Auto-laváveis com a própria água da chuva, dispensam manutenção constante.

Para impedir a infiltração de água, os domos são montados em chassi de alumínio sobre uma mureta de alvenaria. Os dois materiais (alumínio e acrílico) apresentam diferentes coeficientes de dilatação térmica e por isso sofrem movimentação independente, de acordo com a variação da temperatura ambiente. Por essa razão, as cúpulas são encaixadas livremente na estrutura de alumínio, o que facilita a livre movimentação do acrílico.

grafico17

grafico18

Quando há necessidade de maior eliminação de calor do ambiente, recomendam- se domos isotérmicos. Eles reduzem pela metade o calor do ambiente, mantendo a transmissão de luz inalterada. Os domos isotérmicos são compostos de duas cúpulas espaçadas, que formam um colchão de ar entre elas. Esse recurso permite a passagem de luz e calor, nas proporções citadas ao lado.

grafico19

Comparação de chapas acrílicas originais x recicladas

Existem duas opções de chapas acrílicas para compor uma cobertura: chapas cast ou fundidas & chapas extrusadas, e a escolha deve ser feita com base em suas propriedades e dimensões, conforme revelam as tabelas dos itens 3 e 4, a seguir.

Entretanto, deve-se tomar cuidados com chapas recicladas, pois apresentam propriedades inferiores às chapas “originais” ou “virgens”, como são denominadas as chapas cast ou extrusadas produzidas com monômero puro de MMA-metacrilaro de metila, conforme demonstra a tabela abaixo.

Deve-se considerar, após avaliações destas obras, que as chapas acrílicas podem ser empregadas largamente, quando a qualificação técnica une-se com a criatividade.

tab_coberturas1

Variedade de produtos

Existe ampla variedade de tamanhos e espessuras de chapas acrílicas. Escolha nas tabela abaixo a melhor opção para sua obra entre as chapas “cast” ou extrusadas.

Clique para visualizar a tabela de tamanhos e pesos de chapas acrílicas “Cast”

Clique para visualizar a tabela de tamanhos e pesos de chapas acrílicas extrusadas

Antiga rodoviária de São Paulo.
Antiga rodoviária de São Paulo.

Propriedades e especificações

As chapas acrílicas podem ser oferecidas em várias gradações de transmitância luminosa, principalmente nas chapas opalinas (branco leitoso), com índices de transmissão de luz variando de 71 a 4%, devido basicamente a variação de espessura.

O mesmo se aplica para transmitância de energia solar, com variações de 66 a 8%. Isto se traduz em propriedades de absorção de luz solar, proporcionando conforto térmico no ambiente.

As chapas acrílicas apresentam elevada resistência às chuvas de granizo e à luz do sol, possuindo proteção natural aos raios ultravioletas.

Clique aqui para verificar outras propriedades físicas, óticas, mecânicas e térmicas de chapas acrílicas.

Normas abnt – iso 7823-1 e 2

As chapas acrílicas possuem propriedades definidas de acordo com normas internacionais ISO, estabelecidas no Brasil como NBR-ISO:

NBR-ISO 7823-1: Chapas de Poli(metacrilato de metila) – Tipos, dimensões e características. Parte 1: Chapas fundidas (cast)

NBR-ISO 7823-2: Chapas de Poli (metacrilato de metila) – Tipos, dimensões e características. Parte 2: Chapas extrusadas calandradas.

Estas normas podem ser adquiridas através da Internet, pelo site da ABNT: www.abntdigital.com.br

Precauções contra incêndios

Chapas e resinas acrílicas são termoplásticos combustíveis e por isto devem ser tomadas precauções para protegê-los de chamas e fontes de alto aquecimento. Normalmente, produtos acrílicos queimam rapidamente até o seu desaparecimento se o fogo não for extinto. Assim, insistimos na adequada avaliação de uso destes materiais e recomendamos que os códigos de construção civil sejam seguidos, assegurando a aplicação correta do material.

Cobertura em Acrílico do Museu Kunsthaus Graz na Áustria
Cobertura em Acrílico do Museu Kunsthaus Graz na Áustria

Manuseio e Transporte

– Película protetora superficial deve ser retirada somente após a instalação; Armazenagem na vertical, com leve inclinação e apoio em toda área das chapas para evitar abaulamento, recomendando-se o uso de cavaletes;

– Não apoiar materiais de outra natureza sobre as chapas, evitando danos à película, bem como excesso de carga;

-Armazenar em local aberto e evitar fontes de calor excessiva nas proximidades, protegendo a película superficial;

-Por ser um material flexível, as chapas devem ser movimentadas de forma a evitar o seu dobramento excessivo, evitando também amarração pelas bordas.

Projeto e Instalação

A instalação das chapas de acrílico deverá ser a última etapa de uma obra.

Para instalações planas:

As distâncias para os apoios serão definidas de acordo com a espessura das chapas, conforme tabela abaixo:

tab_coberturas5

coberturas_ilustra

Para instalações curvas:

As distâncias para os apoios serão definidas de acordo com a espessura das chapas, conforme tabela abaixo:

tab_coberturas6

coberturas_ilustra2

O raio (r) de curvatura a frio para chapas acrílicas deve ser maior que 200 vezes a espessura das chapas “cast” e 300 vezes a espessura de chapas extrusadas:

r > 200 x e (mm) – para chapas “cast”

r > 300 x e (mm) – para chapas extrusadas

Obs: as chapas acrílicas aceitam qualquer raio de curvatura quando moldadas

Cuidados com a dilatação térmica:

tab_coberturas7

coberturas_ilustra3 (1)

As chapas de acrílico apresentam índices de dilatação térmica maior que o vidro, portanto, deverá ser previsto folga apropriada nos pontos de apoio a fim de se evitar esforços e deformação. Vide tabela abaixo:

Cuidados com a a furação das chapas:

As chapas acrílicas podem ser furadas com equipamento comum e brocas helicoidais normais. Mas para melhor rendimento, use brocas de espiral espaçada com sulcos largos e polidos.

Durante a furação reduza o calor ao mínimo, para obter um artigo perfeito e livre de tensões – e assim reduzir a tendência a fissuras. Os cavacos sempre devem ser removidos, para não aderirem à peça. A face inferior da chapa deve estar bem apoiada. A velocidade da broca vai depender do diâmetro, tipo de acabamento e precisão desejados, e condições da furação. As velocidades são aproximadamente estas:

Diâmetro de 3,2 mm (1/8 pol): 3.700 rpm

Diâmetro de 6,4 mm (1/4 pol): 1.800 rpm

Diâmetro de 9,5 mm (3/8 pol): 1.200 rpm

Diâmetro de 12,7 mm (1/2 pol): 900 rpm

Manutenção

Chapas acrílicas possuem baixa dureza superficial sendo susceptível ao risco e à abrasão, por isso, deve-se retirar os filmes de proteção de ambas as faces somente após a instalação das chapas.

– Recomenda-se limpeza periódica em torno de 6 meses, utilizando água e sabão ou detergente neutro e pano ou esponja bem macios.

– Pequenos riscos, encardidos e manchas superficiais podem ser removidos aplicando-se polidor doméstico para metais.

Durabilidade

As chapas acrílicas apresentam resistência às chuvas de granizo e à luz do sol, possuindo proteção natural aos raios ultravioletas, dispensando qualquer proteção adicional.

As chapas cristais possuem garantia de 10 anos contra o amarelamento, seguindo-se as recomendações do fabricante.