Retorna a Home-Page Fale Conosco     Acesse nosso Twitter Acesse o canal do Indac no Youtube

Colagem com Acrílico (formação, técnicas tipo de cola e outros)

Trabalho com acrílico há mais de cinco anos mais até agora não consigo fazer uma boa colagem. Gostaria de saber se vocês poderiam me ajudar através de apostila ou curso para que eu possa me tornar um ótimo colador.

Edson Santos de Jesus - sáb 1/12/2007

RESPOSTA →

Sugerimos o curso sobre Artesanato em Acrílico na Escola Senai Mario Amato, de São Bernardo do Campo / SP. O curso é composto de etapas teóricas e práticas de oficina, colaborando no aprendizado das técnicas de trabalho com chapas acrílicas. Escola Senai Mario Amato, tel.: 11-4109.9499, ou se preferir entre em contato por e-mail: senaimarioamato@sp.senai.br

De qualquer maneira, podemos mencionar que as chapas acrílicas podem ser coladas entre si usando colas apropriadas, obtendo-se uniões fortes e transparentes. A duração, aparência e força da união dependem da eliminação de esforços internos, da preparação do material na forma adequada e da escolha da cola mais indicada. Há um tipo de cola apropriada para cada aplicação em particular. As técnicas de aplicação das colas são muito importantes para obtenção de um bom resultado.
é importante atenção com cuidados e segurança, pois toda a cola contém solventes orgânicos e, portanto trata-se de produto tóxico. A cola para acrílico deve ser manuseada em local arejado (de preferência em capelas com exaustão de vapores), com uso de luvas, óculos e máscaras. Se for inalada, pode causar náuseas, tontura, e convulsões, afetando o sistema nervoso central e o sistema cardiorrespiratório. Evite o contato com a pele e mantenha o frasco com o produto longe de crianças e pessoas não habilitadas.

Para boa aderência da cola, as superfícies do acrílico devem estar isentas de gordura ou de adesivos dos filmes de proteção. Deve-se efetuar uma limpeza usando éter ou aguarrás.
Se o corte feito com serra apresentar imperfeições, deve ser lixado até atingir esquadramento correto, eliminando-se os «serrilhados» e ondulações. Nunca se devem polir as superfícies a serem coladas, pois a cola não teria boa aderência e as áreas de contato seriam reduzidas pelo arredondamento das bordas.

Existem basicamente dois tipos de colas para trabalho com Acrílico:
• Colas a base de solvente
• Colas acrílica com catalisador

A utilização correta da cola à base de solventes é uma das peculiaridades do processo. A cola à base de solventes, ou cola rápida, exige do aplicador alguns conhecimentos mínimos para oferecer maior rendimento. Com o objetivo de facilitar a compreensão de seus segredos, e assim evitar bolhas e o “embranqueci mento” das peças após uma colagem mal realizada, é importante que o aplicador esteja atento para detalhes fundamentais no processo de colagem. Em primeiro lugar, as superfícies a serem coladas devem estar absolutamente lisas, planas, limpas e desengorduradas, para que haja uma aderência perfeita entre elas, o que pode ser obtido com uma usinagem feita por torno, tupia, desempenadeira ou fresa. As partes que estarão em contato devem ser limpas com tecido umedecido em álcool, éter ou aguarrás. Recomenda-se, também, a retirada de pequenas sobras dos filmes de proteção que acompanham as chapas e podem ser um empecilho para uma boa colagem. As chapas não devem ser polidas antes da colagem. Por apresentar secagem rápida, não é aconselhável para peças que ficarão expostas às intempéries ou para usos industriais, ou mesmo para peças que podem ser submetidas a esforços mecânicos.

Para realizar uma colagem com ângulo de 90 graus, utiliza-se a ajuda de fitas adesivas, grampos ou qualquer outro recurso para fixar o posicionamento das partes, e aplica-se a cola com o auxílio de uma seringa ou uma bisnaga, adaptadas ao bico aplicador. Se junta uma parte da peça contra a outra, firmemente com grampos ou pesos e aplica-se a cola solvente, com seringa hipodérmica e agulha ao longo do interstício deixado pelas superfícies a colar, permitindo que a cola penetre por capilaridade nas áreas determinadas, que em função da baixa viscosidade da cola fluirá em todas as arestas de contato. Deve-se ter cuidados para evitar que a cola escorra pelas arestas onde não se deseje a união. Cola em demasia pode arruinar as zonas adjacentes e se for escassa as uniões ficarão frágeis.
Deve-se aguardar uma hora antes de qualquer manuseio, e até doze horas antes das demais operações de acabamento. A cola a base de solvente age dissolvendo a superfície da chapa acrílica, permitindo a fusão das faces a serem coladas, seguida da evaporação do solvente.

A cola acrílica com catalisador é um produto de alta transparência e bastante cristalino, apresentando alta viscosidade e deve ser preparada com o auxílio de um componente catalisador. A cola acrílica com catalisador garante elevada resistência mecânica à junta colada, permitindo trabalhos resistentes à pressão e esforços mecânicos, oferecendo, ainda, grande resistência às intempéries. é a única cola que permite obter juntas quase invisíveis e com resistência próxima à do próprio acrílico.
Para conseguir o efeito desejado, misture a cola com o catalisador na proporção de 25:1 (ex: 25 ml de cola para um ml de catalisador). Homogeneizar por 1 minuto em recipiente bem limpo, de vidro ou polietileno. Completada a mistura, espere até as bolhas subirem para a superfície da cola e transfira o produto sem bolhas para uma bisnaga flexível, ou seringa plástica. Após ser preparada, a cola deve ser utilizada em até 20 minutos, pois sua viscosidade aumenta progressivamente, dificultando a aplicação.
As superfícies a serem coladas devem estar limpas e desengorduradas. Proteja as áreas próximas à região a ser colada com fitas adesivas ou filmes plásticos.

Aplique a cola em uma das partes e mantenha a peça posicionada em gabaritos. Mantenha o objeto pressionado por até 60 minutos, até o endurecimento da cola. A usinagem do material colado deve ser realizada apenas depois de um intervalo de 24 horas. Cuidado com alguns materiais que amarelam a cola e retardam seu endurecimento como borrachas, madeiras, álcool ou a parte colante das fitas adesivas.

Não é necessário polir as partes a serem coladas. Não utilize a cola em temperatura ambiente inferior a 20° C, pois ela deve ser utilizada entre 20° C e 25° C (é possível aquecê-la em banho-maria). Caso a cola demore mais de 60 minutos para endurecer, descarte o catalisador, que deve ser conservado em ambiente refrigerado com até 10° C. Por ser inflamável, o produto deve ser mantido longe do fogo. Em caso de acidente, use pó químico seco para apagar. Armazene o produto longe de crianças e pessoas não-habilitadas.
Procure trabalhar em ambientes refrigerados ou em capela com exaustão de vapores. Use máscaras, óculos e luvas na hora do manuseio.

As colas usadas para chapas estrusadas são à base de solvente e também agem dissolvendo a superfície da chapa acrílica, permitindo a fusão das faces a serem coladas, seguida da evaporação do solvente. Possui secagem rápida, devendo ser aplicada por meio de seringa hipodérmica de plástico. Juntam-se previamente as partes a serem coladas, despejando-se a cola por meio da seringa na região da junta.

As colas são encontradas no mercado especializado para materiais acrílicos, sobre diversas especificações de acordo com a utilização.

Também podemos citar outras técnicas de colagem para Acrílico, como:
• Adesivos com aplicação em aerossol
• Adesivos em fitas de dupla face transparentes ou opacas
• Pistola de ar quente, ajustadas eletronicamente, quanto à temperatura e velocidade do fluxo de ar.
• Para trabalhos muito especiais utiliza-se método por ultra-som, com tempos de execução muito curtos.

Para se conhecer ainda mais sobre colagem de chapas acrílicas, consulte o site do Indac.

5 Comments on “Colagem com Acrílico (formação, técnicas tipo de cola e outros)”

  1. #1 isaac saul
    on Jan 25th, 2009 at 10:33

    gostaria de saber onde posso encontrar um curso de modelagem de pecas em acrilico, tenho muita vontade de conhecer essas tecnicas para da forma ao acrilico, ja tem um tempo que eu ando pesquisando cursos mas nao encontro nada,, queria conhercer pequenas maquinas que possa dar formas em pequenos trabalhos em casa msmo ou qualquer coisa desse tipo

  2. #2 INDAC
    on Fev 2nd, 2009 at 18:12

    Isaac,

    O Indac mantém convênio com a escola SENAI Mario Amato em São Bernardo do Campo / SP para ministrar curso sobre “Transformação de Peças Acrílicas”.

    Trata-se de curso teórico e prático em oficina, sobre corte, dobra, moldagem, dobragem, colagem e decoração de chapas acrílicas.

    Contato da Escola SENAI Mario Amato:
    Telefone: 11-4109.9499
    E-mail: rm@sp.senai.br

    João Orlando - Indac

  3. #3 renato laranjeira manoel
    on Fev 16th, 2009 at 20:04

    Quero montar torres de chopp mas não estou encontrando peças para produzir, poderiam me orientar sobre fornecedores?

  4. #4 INDAC
    on Mar 13th, 2009 at 10:55

    Olá Renato.

    As chapas acrílicas utilizadas para produção do vaso podem ser adquiridas em uma das empresas distribuidoras ou produtoras, relacionadas no site do INDAC:

    http://www.indac.org.br/associados.php

    Obrigado.

    João Orlando - INDAC

  5. #5 fernando
    on Jul 12th, 2009 at 19:43

    ola eu chamo me fernando e trabalho numa impresa de acrilicos e colamos as pecas com clorofonio que se aplica com uma seringa

Deixe uma questão ou Comentário