Retorna a Home-Page Fale Conosco     Acesse nosso Twitter Acesse o canal do Indac no Youtube

Artigos e literatura sobre o Acrílico (produção de chapas acrílicas para câmaras isobáricas)

Sou estudante da Universidade de Mogi das Cruzes, e faço iniciação cientifica com um projeto pela Fapesp e associado a uma empresa para produção de chapas acrílicas para câmaras isobáricas. Temos dificuldade de encontrar literaturas (livros e publicações) sobre o assunto. Gostaria de saber se o Indac poderia nos passar artigos ou outros meios de literaturas com mais informações sobre o acrílico.

Rita de Cássia S.s da Costa - seg 22/10/2007

Resposta →

Pode-se citar que os termoplásticos acrílicos (PMMA) são obtidos da polimerização dos ésteres acrílicos, gerando materiais como as chapas fundidas ou “cast”, chapas extrusadas, tubos, tarugos, filmes e grânulos para moldagem por injeção ou extrusão.

As chapas fundidas são produzidas com ampla variedade de tamanhos e espessuras, sendo as maiores disponíveis em 3x 2 metros, e espessuras variando entre 1 a 24 mm.
As chapas “cast”, fundidas entre placas de vidro, possuem excelentes propriedades óticas e acabamentos das superfícies, além de serem oferecidas em uma grande variedade de cores e composições. As chapas acrílicas fundidas são fornecidas com formulações básicas para uso geral e com propriedades de absorção de raios ultravioleta, espelhadas e com características de alta termoformabilidade.
Todas as chapas acrílicas fundidas são fortes, estáveis, resistentes às condições do tempo e termoformáveis; disponíveis nas opções transparentes, translúcidas e em cores opacas, combinando com uma variedade de texturas superficiais.
As chapas extrusadas são produzidas pela compressão dos grânulos acrílicos através de uma rosca de extrusão convencional. O acrílico é fundido e empurrado através de uma matriz em um processo contínuo, possibilitando uma variedade de larguras e comprimentos.
O processo de extrusão é a opção mais econômica para a produção de chapas acrílicas. A chapa extrusada é a alternativa de menor custo dentre as outras opções, entretanto, linhas de fluxo e distorções podem ocorrer. São utilizadas quando a qualidade é boa o suficiente e a economia do projeto é quem dita as regras.

Adiciona-se pigmentos ao monômero visando produzir um amplo espectro de cores transparentes, translúcidas ou opacas. A maior parte das cores é formulada para possibilitar longo tempo de durabilidade à exposição externa. Formulações especiais de chapas acrílicas também estão disponíveis para moldagens profundas de componentes como banheiras e
cabines de banho.
As propriedades mecânicas do acrílico são elevadas e altas tensões conseguem ser suportadas com segurança por curtos períodos. Entretanto, para esforços mais prolongados as forças de tensão devem ser limitadas a 1.500 psi, visando evitar «crazing» ou rachaduras na superfície.

Mais informações sobre o processo de produção de chapas acrílicas podem ser conseguidas na apostila Acrílico do Começo ao Fim, na Biblioteca do INDAC, ou faça um download do arquivo em PDF.

Vale a pena citar que o setor de acrílico é pouco explorado por literaturas específicas. Outra opção para informações técnicas é utilizar os trabalhos científicos desenvolvidos por escolas especializadas em materiais plásticos, como é o caso da Universidade Federal de São Carlos — UFSCar— em seu Departamento de Engenharia de Materiais - DEMA.

O contato com a UFSCar é pelo site: www.dema.ufscar.br

6 Comments on “Artigos e literatura sobre o Acrílico (produção de chapas acrílicas para câmaras isobáricas)”

  1. #1 carlos marcico
    on Dez 30th, 2008 at 10:49

    Pretendo produzir componentes fundidos tridimensionais para uso técnico em mobiliário específico para portadores de limitaçoes de movimento. Para este fim procuro informações sobre obtenção de monômero MMA e catalizador para cura a frio. A opção pelo acrílico é devida a sua moldabilidade sem uso de equipamentos de alto custo, bem como a possibilidade de produção em escalas variadas.
    Há possibilidade de fundir acrílico do mesmo modo que as resinas de poliester?
    Qual o melhor e mais rápido catalizador?
    È necessário utilizar desmoldantes em moldes metálicos?

  2. #2 INDAC
    on Jan 7th, 2009 at 11:25

    Olá Carlos Marcico.

    Obrigado pela tua questão apresentada, vamos a resposta:

    De fato as chapas acrílicas apresentam facilidade de moldagem sem uso de equipamentos de altocusto, bem como a possibilidade de produção em variadas escalas.

    No entanto, a reação domonômero de MMA - metacrilato de metila com catalizador, que gera a reação depolimerização, é exotérmica, ou seja, libera calor.
    Desta forma, a fundição de chapas ou peças acrílicas é processo mais complexo do que os de resina poliéster, pois existe a necessidade de controle do calor liberado.

    Assim, não sugerimos o trabalho de fundição de MMA sem conhecimento profundo das reações depolimerização e em ambientes inadequados, pois podem ocorrer acidentes com pessoas e com o material utilizado.
    Sugerimos este tipo de trabalho somente em escala industrial, com experimentação em ambiente seguro de laboratório depesquisas de produtos químicos.

    Também devemos complementar que a facilidade de trabalho de chapas acrílicas grossas podegerar peças tridimensionais complexas e de melhor qualidade, se comparada comfundição de resina de poliéster.

    Esperamos ter ajudado!

    João Orlando Vian - Executivo INDAC

  3. #3 Ricardo Garcia Diniz
    on Ago 20th, 2009 at 17:07

    Estou a procura de um material liquido ou granulos ativados por catalizadores para a moldagem de estatuetas com resistência tipo do acrílico, pois a resina poliester não tem, quebra com facilidade. Onde eu poderia encontrar esse tipo de material. É para a confecção de artezanato.
    Grato.

  4. #4 INDAC
    on Set 25th, 2009 at 13:19

    Olá Ricardo.

    O material líquido de acrílico ou monômero de acrílico, conhecido quimicamente como Metacrilato de Metila não é comercializado para uso doméstico devido às questões de segurança. Trata-se de material que reage com adição de catalizadores, tornando-se uma reação exotérmica e que somente pode ser trabalhada em ambientes industriais. Para moldagem de peças acrílicas sugerimos uso do produto já polimerizado em grânulos, ou o Polimetacrilato de Metila e a necessidade de confecção de moldes adequados para injeção das peças.

    Obrigado pelo comentário!

    João Orlando Vian - INDAC

  5. #5 erika
    on Fev 10th, 2010 at 8:00

    estou tentando abrir a biblioteca d indac para pesquisar sobre o acrilico pois estou estudando quimica e neste semestre o grupo fara uma apresentacao sobre acrilico sera que voces podem me ajudar
    Aonde que eu posso comprar esta revista de vcs.
    Obrigado Erika

  6. #6 Equipe Indac
    on Mar 15th, 2010 at 16:42

    Olá Erika.

    Acesse o conteúdo do INDAC em “Tudo sobre Acrílico”. Clique no botão Home e após no menu a esquerda.

    Quanto a nossas publicações, clique aqui e cadastre-se para receber o Jornal do Acrílico gratuitamente.

    Obrigado pela sua participação!

    Equipe Indac

Deixe uma questão ou Comentário